museum-digitalBrasil

Close

Search museums

Close

Search collections

CMMECPC [CMMEC111/2015]

Ritual - Siron Franco

Ritual (CMMECPC CC BY-NC-SA)
Provenance/Rights: CMMECPC (CC BY-NC-SA)

Description

A pintura apresenta um esquema pictórico inusitado, aproximando-se dos ideais estéticos surrealistas.
O artista utilizou uma gama cromática escura, na qual predominam marrom e vermelho. Com a utilização de um grande plano cromático, a figuração não é tão evidente, sugerindo um caráter quase abstrato.
Chama a atenção, porém, o que aparenta ser um altar ritualístico no centro da composição, onde é possível determinar dois rostos. No entanto, a planaridade da cena indica que trata-se de máscaras de rituais. No quadrante inferior-centro, feições humanas são demarcadas apenas por contornos, acompanhadas, à direita, de uma numeração de 1 a 10 em sentido vertical.
Acima, no quadrante superior-centro, nota-se um rosto contido em uma forma geométrica, sugerindo tratar-se de uma máscara.
À esquerda da tela, em sentido vertical, representações de uma mão e uma chave, entre outras, aparecem como símbolos ritualísticos.
Ademais, a composição é mais marcada pela geometrização de formas do que pela figuração.

SIRON FRANCO
Gessiron Alves Franco nasceu em Goiás Velho (GO), em 26 de julho. Muda-se para Goiânia em 1950. Em 1960 estuda pintura com D. J. Oliveira e Cleber Gouvêa, ano em que também é aluno-ouvinte da Escola de Belas Artes da Universidade Católica de Goiânia. Entre 1969 e 1971, freqüenta os ateliês de Bernardo Cid e Walter Levy, em São Paulo, integrando o grupo que faz a exposição Surrealismo e Arte Fantástica, na Galeria Seta. Em 1975, com o prêmio viagem ao exterior, reside entre capitais européias e o Brasil. Em 1979, inicia o Projeto Ver-A-Cidade, realizando diversas interferências no espaço urbano de Goiânia. Entre 1985 e 1987, faz direção de arte para documentários de televisão, como Xingu, concebido por Washington Novaes e premiado com medalha de ouro no Festival Internacional de Televisão de Seul.

Siron Franco é um artista muito ligado às questões sociais: quando do acidente com o césio 37, elemento radioativo que causaria grandes danos de saúde a pessoas pobres de Goiânia, o artista pintou série intitulada “Césio”, atuando contra o descaso das autoridades diante do desamparo dos cidadãos. Os povos indígenas também foram tema de um memorial feito por Siron Franco, em respeito e homenagem ao contínuo massacre dessas populações. A devastação da natureza também seria um de seus motivos, denunciando a caça e a matança de animais.

Esses temas seriam desenvolvidos em esquemas inusitados, por vezes instalações, de uma criatividade peculiar ao artista ligado às questões do seu tempo. Por outro lado, o artista possui um domínio técnico que o possibilita o desenvolvimento da própria linguagem artística, ao par de todas as questões sociais e temáticas.

Material/Technique

Óleo sobreTela

Measurements

80 x 90 cm

Painted ...
... Who:
... When

Object from: CMMECPC

Apresentação da coleção “O mais profundo encantamento do colecionador consiste em inscrever a coisa particular em um circulo mágico no qual ...

Contact the institution

[Last update: 2019/06/30]

Usage and citation

Cite this page
The textual information presented here is free for non-commercial usage if the source is named. (Creative Commons Lizenz 3.0, by-nc-sa) Please name as source not only the internet representation but also the name of the museum.
Rights for the images are shown below the large images (which are accessible by clicking on the smaller images). If nothing different is mentioned there the same regulation as for textual information applies.
Any commercial usage of text or image demands communication with the museum.